quarta-feira, setembro 05, 2007

...
Minhas mãos
nas tuas mãos

São folhas vivas
são vãos

Por onde escorrem
chãos

Por onde ecoam
sons

Da minha
breve e inaudível
música


Mãos

ãos

Mãos

...

Um comentário:

Uli Teffann disse...

Meu amor me chamou, bradou


Hoje sorri, meu amor me chamou
Numa mensagem cheia de carinho
Aviltou-me na minha vil vida, calou
Meu choro, que marcou meu caminho

Hoje sorri, na certeza de ser querido
Aquela chamada que ressoou pela rua
Jogou ao lado todo sentido de esquecido
Lágrimas nos meus olho, ouvi, “minha vida é sua”

Me ama gritou, bradou, meu coração!
O sorriso tímido que meu ser iluminou
Os meus passos deslizados como canção
Levam-me à sua face, que meu lábio beijou

Perfeita mão de encontro a minha, suavidade
Delicada, singela, discreta, quase secreta
Em meio a tanto amor que forjamos na lealdade
Abraço-te, amo-te, minha alma feliz canta

Meus olhos brilham, teus olhos me encantam
Não me reconheço, esse amor não tem preço
O teu mel e as tuas palavras me embriagam
Esqueço-me de mim, pra mim tu és o começo

Uli Teffann